". Vereador bolsonarista tenta invadir sala de aula por denúncia de ideologia de gênero

Parceiro

Type Here to Get Search Results !

Vereador bolsonarista tenta invadir sala de aula por denúncia de ideologia de gênero

0
O parlamentar de Patos de Minas disse que recebeu a denúncia do pai de um aluno. Direção da escola nega entrada e vereador chama a polícia. Professor nega
Vereador bolsonarista tenta invadir sala de aula por denúncia de ideologia de gênero


O vereador bolsonarista José Luiz (Podemos) chamou a polícia à Escola Municipal Norma Borges Beluco, em Patos de Minas, por causa de uma denúncia de que estaria sendo ensinado ideologia de gênero aos alunos do 9º ano

(foto: Reprodução de vídeo)
A Escola Municipal Norma Borges Beluco, em Patos de Minas, no Alto Paranaíba, foi cenário de uma confusão nesta terça-feira (19). O vereador bolsonarista José Luiz Borges Júnior (Podemos) queria entrar em uma sala de aula para verificar se o professor estaria falando sobre orientação sexual.
A direção da escola negou a entrada na sala de aula. Revoltado, o parlamentar chamou a polícia e  gravou um vídeo  para as redes sociais. “Estão ensinando ideologia de gênero nas nossas escolas”, escreveu ele.
À reportagem, José Luiz disse que recebeu a denúncia do pai de um aluno do 9º ano. Ele mencionou que o professor teria passado atividades na qual os estudantes teriam que reconhecer qual bandeira era associada à determinado grupo LGBTQIA%2b.

Questionado, o parlamentar disse que não teve acesso a nenhum material impresso que comprovasse tal alegação.
 
O diretor da escola, Jefferson Vieira Lima, informou que o vereador foi convidado a entrar e se dirigir até à sala da direção.

O professor foi chamado e os três conversaram. Foi explicado que a escola segue o plano curricular e que o conteúdo sobre sexualidade faz parte da disciplina de ciências do 9º ano.
Jefferson ressaltou que não existe ideologia de gênero dentro de sala de aula, e sim o ensino sobre a reprodução humana. "Nossa escola é plural, seguimos o plano do estado" afirmou.
 
O diretor ainda disse que o vereador acusou o professor de direcionar os alunos para determinada orientação sexual, tendo ele se defendido.
 
Por fim, Jefferson afirmou que a entrada em sala de aula não foi autorizada, já que não houve pedido prévio. Também informou que nenhum pai ou responsável reclamou do conteúdo junto à direção.

"Estamos abertos para mostrar e discutir o plano de ensino. E o vereador é bem-vindo, inclusive para verificar outras demandas importantes para a educação", finalizou.
 
Em nota, a Secretaria Municipal de Educação mencionou que o vereador José Luiz Borges Júnior estava com os ânimos alterados.

“Mediante discurso alterado do vereador e do seu assessor, o diretor esclareceu que não autorizaria a entrada do vereador em sala de aula para discursar contra ou a favor de nenhum tema”.



Um blog com notícias selecionadas para você

Postar um comentário

0 Comentários

Top Post Ad

Below Post Ad