loading...
O ódio como método

O ódio como método


O vereador Carlos Bolsonaro (PSL-RJ), filho do candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro, publicou uma imagem que remete à tortura nos seus stories do Instagram. A foto mostra um homem com um saco amarrado à cabeça, sangrando, com a hashtag #elenão tatuada no peito. Carlos também escreveu a frase "Sobre pais que choram no chuveiro!", em alusão a pais que sentem vergonha de seus filhos por serem homossexuais. 

Jociane Louvera, professora de direito penal e processual e advogada criminalista, disse que "é possível que alguém pense sobre o delito de apologia ao crime previsto no artigo 287 do Código Penal", que classifica como crime "fazer, publicamente, apologia de fato criminoso ou de autor de crime".

"No caso dele, as pessoas podem ser levadas pela interpretação em razão de seus discursos de ódio, podem crer que tenha agido com dolo de fazer apologia ao crime de tortura", explica. "Como ele fez uma nota depois, ele quis dizer que não teve dolo de fazer apologia. Mas, pra qualquer pessoa que olhe pra uma imagem dessa e saiba o discurso por ele feito, a pessoa vai entender que tem aí uma apologia ao crime de tortura", completa.

A criminalista diz ainda que "a paz pública, em especial do homem médio, fica abalada com o comportamento de um cidadão que pretende dirigir a nação e só fala em tortura, armas e outras questões menos nobres".

Imagem publicada nos stories do vereador Carlos Bolsonaro - Reprodução Instagram
Após a publicação da foto, o vereador, que já foi vice-presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara do Rio, postou nos stories a imagem de seu pai, acompanhada da hashtag #elesim.


Imagem publicada nos stories do vereador Carlos Bolsonaro - Reprodução Instagram
Procurado pela reportagem para maiores esclarecimentos, o gabinete do vereador informou que ele está em São Paulo, ao lado do pai, e que já havia se pronunciado em seu Twitter. Na rede, escreveu que "Foi apenas a replicação da foto de alguém que considera isso uma arte. Me agradeçam por divulgar e não mintam como sempre!".



Novamente inventam como se eu tivesse divulgado uma foto dizendo que quem escreve a hashtag mereceria alguma maldade. Não, canalhas! Foi apenas a replicação da foto de alguém que considera isso uma arte. Me agradeçam por divulgar e não mintam como sempre! Segue a verdade:
A imagem teria sido publicada originalmente por um usuário chamado @ronaldocreative. A descrição do perfil, trancado, tem apenas a frase "A arte como forma de protesto", seguida das hashtags #Elenao, #Elenunca e #Nothim. 



Ela foi replicada originalmente pela página @direitapvh, uma página de direita de Porto Velho, que tem o número 17 como foto. O perfil saiu do ar na tarde desta quarta-feira.

0 Response to "O ódio como método"

Postar um comentário

Deixe sua opinião


Iklan Atas Artikel

Iklan Tengah Artikel 1

loading...

Iklan Tengah Artikel 2

loading...

Iklan Bawah Artikel 600