loading...
Sem correção desde 2015, tabela do IR faz brasileiro pagar mais a cada ano;

Sem correção desde 2015, tabela do IR faz brasileiro pagar mais a cada ano;

Segundo Sindifisco, defasagem acumulada desde 1996 é de 109,63%. Veja comparativo de imposto a pagar com a tabela vigente e tabela corrigida simulada.Com mais um ano sem correção sequer da inflação do ano anterior, a tabela do Imposto de Renda passou a acumular em 2020 uma defasagem de mais de 100%, segundo levantamento do Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Sindifisco).Entre 2016 e 2019 não houve nenhuma correção. A última correção foi feita em 2015 e a falta de atualização da tabela tem levado o brasileiro a pagar mais imposto a cada ano e também tem deixado mais trabalhadores fora do limite de isenção.A inflação, que diminui o poder de compra de todo mundo, subiu 327,37% de 1996 a 2019. Nesse mesmo período, a correção da tabela do Imposto de Renda foi de 109,63%, segundo o Sindifisco, o que dá uma defasagem média de 103,87%. O ano inicial do estudo é 1996 porque foi a partir de quando a tabela começou a ter os valores em reais.

Nos últimos 23 anos, não houve correção em 12 e em apenas 5 anos as atualizações superaram a inflação: 2002, 2005, 2006, 2007 e 2009.
Veja abaixo histórico das correções realizadas nos últimos anos e defasagem acumulada:
Tabela do IR acumula defasagem de 103% desde 1996, segundo Sindifisco  — Foto: Divulgação/SindifiscoTabela do IR acumula defasagem de 103% desde 1996, segundo Sindifisco  — Foto: Divulgação/Sindifisco
Tabela do IR acumula defasagem de 103% desde 1996, segundo Sindifisco — Foto: Divulgação/Sindifisco







falta de correção faz com que muitos contribuintes passem a pagar uma alíquota maior em relação ao ano anterior, uma vez que reajustes salariais (ainda que abaixo da inflação) podem fazer com que a pessoa entre em outra faixa de renda da tabela do IR.
Segundo o Sindifisco, se toda a defasagem acumulada nos últimos anos fosse corrigida, a faixa de isenção, por exemplo, que hoje vai até R$ 1.903,98 por mês, deveria ser ampliada para quem ganha até R$ 3.881,65. Ou seja, menos gente seria obrigada a pagar imposto.

Defasagem deixa mais gente fora dos limites de isenção

Pelos cálculos do Sindfisco, cerca de 10 milhões de contribuintes deixariam de pagar o tributo se a tabela fosse totalmente corrigida.
A Receita Federal espera receber 32 milhões de declarações em 2020. No ano passado, o fisco recebeu 30,5 milhões milhões de declarações. Com isso, o governo espera que cerca de 1,5 milhão contribuintes a mais prestem contas ao leão neste ano.
Tabela atual do IR e simulação de tabela atualizada
Faixa de isençãotabela atualtabela corrigida pela defasagem acumulada desde 1996
isentoAté 1.903,98Até 3.881,65
7,5%De 1.903,99 até 2.826,65De 3.881,66 a 5.714,11
15%De 2.826,66 até 3.751,05De 5.714,12 a 7.654,67
22,5%De 3.751,06 até 4.664,68De 7.654,68 a 9.564,42
27,5%Acima de 4.664,68Acima de 9.564,42


Um blog sobre: Política, empregos e economia

0 Response to "Sem correção desde 2015, tabela do IR faz brasileiro pagar mais a cada ano;"

Postar um comentário

Deixe sua opinião


Iklan Atas Artikel

Iklan Tengah Artikel 1

loading...

Iklan Tengah Artikel 2

loading...

Iklan Bawah Artikel 600