loading...
Lula defende petistas que declaram voto em Boulos para prefeitura de São Paulo

Lula defende petistas que declaram voto em Boulos para prefeitura de São Paulo


"Nós temos que respeitar, porque as pessoas são livres para escolher os seus candidatos”, disse ex-presidente. (Photo: SERGIO LIMA via Getty Images)




Em meio à intensificação do debate sobre união da esquerda e o ‘voto útil’ para prefeitura de São Paulo e do Rio de Janeiro, ex-presidente Lula defendeu petistas que declararam voto em Guilherme Boulos, candidato do PSol na capital paulista.

“Algumas pessoas fizeram o movimento sem depender da direção do partido. Você tem intelectuais do partido, você tem figuras importantes do partido que fizeram documento de adesão ao Boulos bem antes da campanha começar, e nós temos que respeitar, porque as pessoas são livres para escolher os seus candidatos”, disse na manhã deste domingo (15).

Lula conversou com a imprensa em frente à Escola Estadual José Firmino Correia de Araujo, em São Bernardo do Campo. Ele chegou ao local às 8h05 deste domingo para votar.

Um manifesto divulgado na última terça-feira (10) defendeu a união da esquerda em favor de Boulos em São Paulo e de Benedita da Silva (PT) no Rio. “Conclamamos eleitoras, eleitores, candidatas e candidatos que partilham o campo da esquerda que somem forças, façam campanha e apoiem o candidato e a candidata mais bem colocados nas pesquisas, para que tenhamos ainda tempo de produzir sinergia e uma nova dinâmica que garanta a presença de Guilherme Boulos e de Benedita da Silva no segundo turno”, diz o texto.

A iniciativa contou com a adesão do cientista político André Singer, ex-porta-voz da Presidência no governo Lula, do escritor Fernando Morais, do filósofo Vladimir Safatle e da atriz Camila Pitanga, enteada de Benedita da Silva. 

Na terça, a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, conversou com o candidato da legenda em São Paulo, Jilmar Tatto (PT), sobre uma possível desistência, mas ele recusou. “Ninguém poderia dizer o que ele deveria fazer. Era uma coisa dele”, afirmou Lula. “Eu acho que foi uma atitude correta dela [Gleisi Hoffmann], de procurar o partido para discutir isso, e eu acho que foi uma atitude soberana dele de dizer que não ia retirar a candidatura”, completou o ex-presidente.

Na véspera da eleição municipal, pesquisa Datafolha apontava empate técnico no segundo lugar, com Boulos, em vantagem numérica. Ele registrou 17%, como no começo da semana. Em seguida, aparecem  Márcio França (PSB) e Celso Russomanno (Republicanos) - apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro - , com 14% e 13%, respectivamente. Tatto registrava 6%.

No Rio de Janeiro, a disputa pelo segundo lugar envolve o atual prefeito Marcelo Crivella (Republicanos) - apoiado por Bolsonaro e com 18% das intenções de votos, segundo o Datafolha. A deputada estadual Martha Rocha (PDT) tinha 13%, e Benedita da Silva, 10%.

A deputada federal petista foi votar na manhã deste domingo acompanhada do marido, o ator Antônio Pitanga, e da deputada federal Jandira Feghali (PCdoB-RJ).

Na reta final da campanha para o primeiro turno, Delegada Martha Rocha passou a defender o “voto útil” da esquerda, em busca do apoio dos eleitores petistas.

Questionado sobre uma aproximação com Ciro Gomes (PDT), provável presidenciável em 2022, Lula disse que é normal que tanto PT quanto PDT e PCdoB lancem candidatos ao Planalto. “Nós temos o direito de ser adversários”, disse.

O ex-presidente disse que chamou Ciro para conversar em setembro “para que a gente possa trabalhar de foram que um candidato progressista, de esquerda, possa ganhar as eleições de 2022 e a gente varrer do mapa politico desse país esse genocida”.




Um blog sobre: Política, empregos , economia, cultura e gente famosa

0 Response to "Lula defende petistas que declaram voto em Boulos para prefeitura de São Paulo"

Postar um comentário

Deixe sua opinião


Iklan Atas Artikel

Iklan Tengah Artikel 1

loading...

Iklan Tengah Artikel 2

loading...

Iklan Bawah Artikel 600