". Glaidson foi mandante de tentativa de homicídio de concorrente em Cabo Frio, RJ, conclui polícia

Parceiro

Type Here to Get Search Results !

Glaidson foi mandante de tentativa de homicídio de concorrente em Cabo Frio, RJ, conclui polícia

0
Blog do Magal

Segundo a polícia, empresário preso acusado de chefiar esquema ilegal de investimento mandou matar investidor rival. Executores seriam os mesmos que mataram empresário de criptomoedas em São Pedro; participação de Glaidson neste outro crime é investigada.
A investigação comandada pelo delegado Carlos Eduardo Almeida, da 126ª DP (Cabo Frio), aponta que o empresário atuava com investimento em criptomoedas, assim como Glaidson 

 A motivação, segundo a polícia, foi a notícia espalhada por Nilsinho, em janeiro de 2021, de que Glaidson seria preso pela Polícia Federal ainda este ano. Por isso, afirmam os investigadores, a vítima sugeriu que clientes de Glaidson retirassem os valores da GAS Consultoria e transferissem para a sua empresa. 

 Glaidson, de fato, foi preso pela PF, acusado de chefiar um esquema ilegal de investimento em criptomoedas. Na terça-feira, a Justiça Federal negou habeas corpus ao empresário. 

 De acordo com a investigação, Glaidson determinou que Thiago de Paula Reis contratasse executores do crime. Thiago era um dos homens de confiança de Glaidson e chegou a visitá-lo na cadeia.

Glaidson foi mandante de tentativa de homicídio de concorrente em Cabo Frio, RJ, conclui polícia
Fabio Natan do Nascimento — Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal
Ainda de acordo com a polícia, Rodrigo Silva Moreira, Fabio Natan do Nascimento (FB), Chigler Lopes Lima e Rafael Marques Gregório foram os executores do crime. 
Glaidson foi mandante de tentativa de homicídio de concorrente em Cabo Frio, RJ, conclui polícia
Chingler Lopes Lima — Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal



A polícia afirma que, para dificultar a investigação, os quatro usaram um veículo clonado e contaram com o apoio de um veículo regularizado para fazer os deslocamentos rodoviários. 

Procurado  o advogado Thiago Minagé, que defende Glaidson no processo sobre o esquema de pirâmide, disse que ainda não está à frente do caso relacionado à tentativa de homicídio e por isso não pode se manifestar.
Wesley Pessano, de 19 anos, era investidor de criptomoedas — Foto: Reprodução/Redes sociais


Morte de investidor em São Pedro FB e Chingler também são acusados do homicídio de outro investidor em criptomoedas, Wesley Pessano, em São Pedro da Aldeia, também na Região dos Lagos. As investigações continuam para saber se Glaidson também foi o mandante daquele crime.

Um blog de notícias. Tudo sobre política, economia, saúde, justiça, comportamento, entretenimento. Confira os fatos relevantes em tempo real. Notícias selecionadas para você

Postar um comentário

0 Comentários

Top Post Ad

Below Post Ad